sobre fins de tudo

25 dez

 

aviso: as fotos sao aleatorios e ilustrativas; será um grande post, nao pare na metade, outras pessoas vem atras.

ACABOU! Tudo, em todos os sentidos. E pensar que um ciclo novo recomeça. E pensar que deixarei tudo para trás, para que caiba mais coisas na minha bagagem. Engraçado foi o dia em que fui visitar minha (agora) antiga escola: tudo ali parecia diferente e eu parecia não pertencer mais àquela sala.

Incrivel como eu imaginei cada um em seu lugar, mas eu já não me via, até porque, falta a minha carteira. Incrivel perceber como a vida nos deixa sinais. De repente, percebi que, mesmo falando que não sentirei falta, serei a que mais chorará por tudo ter sido tão rápido.

E pensar o quanto de coisas aconteceram esse ano! Não conseguiria nem numerá-las. A principal foi descobrir quem eu sou, o que quero e o que desejo, acredito que, enfim, estou pronta para a vida adulta. (Com apenas dois dias e meio com dezoito anos não senti a diferença, porém, ela está por vir… ). Mas, a mais importante foi descobrir a amizade verdadeira. Sabe, esse ano muitas pessoas passaram por mim, e todas elas deixaram um pedacinho de si comigo. Do Bruno, Miguel, Nego e Pedro, fiquei com o prazer de ouvir samba; com o Jeff, minha paixão por cinema aumentou; dos professores amigos, juntei o máximo de pedaços possiveis, e aprendi muito.

E, no meio de tanta gente, ficava a pergunta, o que é amizade? Agora acredito ter uma pequena parte da resposta. Amigo é aquele que te faz dançar na frente de todo mundo, e na chuva; aquele que aparece na sua casa a noite enquanto você está toda descabelada; que faz você matar aula só para passear de carro e jogar uno; que tem paciência em explicar matemática, em andar no centro, no shopping, em me esperar; que faz vaquinha pra comprar cebolitos; que faz minha parte do trabalho; que, mesmo não gostando, aceita minhas vontades só pra me ver sorrir; que, mesmo não me conhecendo, manda cartas, mesmo que por e-mail; que liga sem motivo; que fica bravo quando algum menino me faz sofrer; que, mesmo quando estou errada, faz que sim com a cabeça, porque sabe que é só disso que preciso; que sabe reconhecer com um olhar quando estou mal; que não tem vergonha de mim; que me deixa livre pra ser quem eu sou, e sabe que eu não pertenço a uma única pessoa e que sou tão volátil quanto o álcool.

Amigo é aquele que a gente não sabe definir e que aos poucos vamos cedendo aos seus caprichos.

E sabe qual é o meu maior presente? Ouvir: “Eu mudei muito desde que te conheci. E mudei pra melhor. Obrigada por participar dessa mudança”. Talvez seja esse o meu destino, andar de vida em vida, consertando pequenos problemas no caminho.   Acredito que já fiz muito por aqui, está na hora de partir. Vou com o coração na mão, apertadinho, mas é o que a vida reservou pra mim, e eu, como sua sudita, irei acatar.

Aproveitando todas essas mudanças, deixo aqui avisado, que mudarei de blog também. Ainda não tenho um nome, nem ideias para o nome, mas para uma nova fase, um novo blog. não me abandonem! avisarei quando tudo estiver pronto, principalmente quando eu estiver pronta. Venham me visitar pelo menos uma vez por semana, mesmo que eu não apareça. O twitter ficará funcionando normalmente, e o meu e-mail sempre será de vocês, para tudo, seja pedidos de namoro, conselhos amorosos, receitas novas, opiniões, criticas, juras de amor, pedidos pra voltar. E prometo responder com carinho: leticiaa.luz@gmail.com.

 

amizade é o amor que nunca morre. (m. quintana)